26/07/2010

Produtor deve vacinar bovinos contra brucelose


Os pecuaristas gaúchos devem ficar atentos para o prazo de vacinação das terneiras contra a brucelose. Essa zoonose pode ser transmitida ao homem através da ingestão de carne, leite e seus derivados contaminados ou pelo contato direto com animais doentes. Por isso é obrigatória a vacinação de todas as bezerras bovinas e bubalinas de três a oito meses de idade.

A brucelose se manifesta principalmente por abortos nas vacas, ocorridos no terço final da gestação e com o nascimento de bezerros fracos ou mal formados. Os touros, além de transmitirem a doença para as fêmeas, através do acasalamento, apresentam deformações no aparelho reprodutivo e infertilidade.

Para vacinar, o produtor deve procurar um médico veterinário credenciado pela Inspetoria Veterinária, que por sua vez, adquire a vacina em uma agropecuária. A Emater/RS-Ascar possui programas e parcerias que incentivam o pecuarista a não perder o período indicado de vacinação do animal. “É fundamental que o produtor seja informado e esteja atento aos prazos corretos para a vacinação, e a Emater trabalha para isso”, diz o responsável por Encruzilhada do Sul, Eduardo Blaya Figueiró.

O produtor que não vacinar o seu gado e tiver animais contaminados acaba por perder todo o leite produzido e, como a infecção animal causa aborto, ocorre também uma consequente diminuição no rebanho. Além desse prejuízo financeiro, o produtor não poderá tira a Guia de Trânsito Animal, e por isso, a movimentação fica trancada dentro da propriedade, não sendo possível vender nenhum animal.

A baixa eficiência reprodutiva dos animais e a diminuição da produção do rebanho acarretam diversas perdas. A ocorrência de abortos gera um aumento do intervalo entre partos, o que leva à diminuição da produção de leite. Estima-se que a redução da produção de carne e leite seja em torno de 25% e que o decréscimo da produção de bezerros seja de 15%.

A brucelose bovina é considerada pela Saúde Pública uma doença ocupacional. Isso porque os profissionais que trabalham com os animais estão mais expostos a ela. Esta zoonose é considerada um sério problema de Saúde Pública e Veterinária no Brasil, particularmente também pelas perdas econômicas que acarreta. Por isso a imunização é obrigatória desde 2001, quando o Governo criou o Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose Animal. Ele tornou rigoroso o controle e a certificação de propriedades livres destas enfermidades.

0 comentários:

Postar um comentário